14/01/20 10:00

Assédio moral prejudica saúde mental dos bancários e afeta o rendimento no trabalho

ASSEDIO-MORAL-APCEF.jpg

A exposição do empregado à situações humilhantes e constrangedoras, conhecidas como assédio moral, infelizmente é uma realidade presente no ambiente de trabalho – o que inclui também o segmento bancário.

A rotina nas agências, por si só, já é bastante estressante, e alguns dos fatores que ocasionam nesse cenário são a forte pressão motivada por gestores, o foco em metas, a alta produção e a competitividade – que, inclusive, pode afetar a saúde mental dos bancários. Além disso, diversos empregados ainda passam por episódios de assédio moral nas agências, o que torna o ambiente de trabalho ainda mais hostil.

A GDP/Caixa (Gestão de Desempenho de Pessoas) é uma política de classificação dos trabalhadores pela análise de seus resultados, e também, um ótimo exemplo de instrumento que deveria ser usado para aperfeiçoamento – mas que, infelizmente, se tornou uma ferramenta de assédio moral.

Apesar disso, sabemos que diversas gestões tratam com descaso a questão. A APCEF/RJ, por ser uma entidade que luta pelos direitos e interesses dos trabalhadores, manifesta seu total repúdio à prática do assédio moral no trabalho e pede que seus associados denunciem caso presenciem tal ato.

As denúncias devem ser feitas primeiramente ao sindicato e à APCEF/RJ, que darão prosseguimento ao caso, pressionando o empregador e acionando a Justiça do Trabalho, se necessário. Em paralelo, uma outra opção é recorrer ao setor de Recursos Humanos ou à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) da sua empresa para buscar orientação.

Compartilhe