27/04/21 12:07

Caixa judicializa paralisação e TST determina que 60% dos bancários sigam trabalhando

 

WhatsApp Image 2021-04-27 at 12.06.17.jpeg

A paralisação de 24h desta terça-feira (27), resposta direta aos ataques contra o banco público proferidos pela própria diretoria da Caixa apoiada pelo governo federal, foi motivo de judicialização por esta mesma diretoria junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). O ministro do TST, Maurício Godinho Delgado concedeu decisão liminar instaurando que 60% dos empregados do banco devam seguir trabalhando durante a paralisação, seja em regime de teletrabalho ou presencial. A multa para o descumprimento prevista é de R$ 100 mil. 

A diretoria do banco justifica com a importância do trabalho dos bancários Caixa na distribuição do auxílio emergencial a acontecer durante a semana, que seria prejudicada com a paralisação. Mas o trabalho essencial destes empregados não pode ser valorizado apenas como mote para impedir paralisações e a luta trabalhista - na hora de cobrir o déficit de quase 20 mil postos de trabalho, impor metas desumanas aos bancários e fatiar a Caixa para ser entregue nas mãos do mercado privado, onde está a valorização do trabalho essencial dos bancários Caixa e sua função social? 

A determinação foi acatada pela Contraf-CUT, mas segue imprescindível que a diretoria da Caixa garanta que os bancários que trabalharão presencialmente tenham todos os equipamentos e cuidados necessários na proteção contra a COVID-19. 

 

Compartilhe