05/10/2021 12:11

Dia Mundial da Habitação acende a necessidade de reflexão sobre a falta de moradia no Brasil

undefined

Acesse as redes da Apcef/RJ:

Dia Mundial da Habitacao acende a necessidade de reflexao sobre a falta de moradia no Brasil.jpg

Hoje, 5 de outubro, é comemorado o Dia Mundial da Habitação. A data é mundialmente conhecida, mas as dificuldades de moradia enfrentadas pelos brasileiros mais pobres não apresentam motivo algum para comemorações. A fraca atuação do governo Bolsonaro e a falta de uma política habitacional comprometida com o social, têm apagado da mente e distanciado o sonho da casa própria dos mais necessitados. Além disso, o crescimento da linha da pobreza, o fim da Faixa 1 do Minha Casa Minha Vida e a cobrança de juros maiores pelo Casa Verde e Amarela, colocam cada vez mais em risco os mais pobres que tanto precisam de moradia.

O momento requer muita reflexão de todos, pois a extinção da Faixa 1 do MCMV (voltada para famílias com renda de até R$1,8 mil e, que desde 2009, entregou mais de 1,5 milhão de moradias com 90% de subsídio), inviabilizou ainda mais as possibilidades dos mais pobres terem acesso a casa própria. Além disso, a séria crise econômica, apresentada ao Brasil pelo governo Bolsonaro, asfixia a construção civil e todo o carrossel que leva ao desenvolvimento. Para piorar a situação ainda mais, o que se viu nos últimos anos foi a tentativa de desmonte da Caixa e a enganosa abertura para que financiamentos do Casa Verde Amarela passem a ser feitos pelos bancos privados que, todos sabem, operam com taxas e juros exorbitantes. Vale destacar que, antes as transações eram restritas à Caixa, responsável por 70% do crédito habitacional e 90% dos financiamentos para pessoas de baixa renda.

Buscar enfraquecer e desmontar a Caixa é tentar fazer crer que o centenário banco social pode ser descartado do processo que resulta em mais habitação para a população. Na verdade, o que o atual governo tenta é enfiar goela abaixo da sociedade a sua política entreguista que só valoriza o capital, não pensa no social e desconsidera os mais pobres. Porém, a história demonstra que o desenvolvimento social do povo brasileiro sempre passou pela Caixa. Ao aniquilar e substituir o programa habitacional de sucesso que foi o Minha Casa Minha Vida, o governo deu mais uma demonstração que não está nem aí para os programas realmente sociais que atendem aos mais pobres.

“O Dia Mundial da Habitação tem que servir de oxigênio para nossas lutas em favor de moradia. Temos que barrar essa política imposta na Caixa que visa somente o lucro e o desmonte do banco. Habitação é questão social, portanto, passa pela Caixa, pois a Caixa é pública. A Caixa é social. A Caixa é do povo”, afirmou Paulo Matileti, presidente da APCEF/RJ

Compartilhe