31/03/21 12:08

Pagamento da PLR menor é castigo pelo empenho, comprometimento e excelente desempenho dos trabalhadores da Caixa

 

PLR JPG.jpg

Após o Dieese identificar que a Caixa pagou a PLR Social com base na divisão linear entre todos os empregados de 3% do lucro líquido, e não de 4%, como determina o ACT, a insatisfação que já era grande ecoou ainda mais e as cobranças se intensificaram. Porém, em resposta às indagações do movimento sindical e das entidades representativas dos empregados da Caixa sobre o pagamento menor da PLR social, a direção da empresa se enrolou toda ao tentar justificar o injustificável. Ao invés de reconhecer o erro e providenciar o pagamento da diferença, o banco divulgou uma tabela tentando se justificar porque tomou como base o índice de 3% e não de 4%. Mas, aparentemente, o tiro saiu pela culatra, pois o Acordo Coletivo de Trabalho vigente deixa claro que 4% é o percentual correto para o cálculo.

“Isso é um absurdo. Parece que a direção do banco quer castigar seus empregados pelo empenho, comprometimento e desempenho no ano que teve início a maior pandemia de nossa era. Se o ACT indica 4%, é esse percentual que tem que ser pago. A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), o movimento sindical e as entidades representativas dos empregados da Caixa não se calarão até que haja a correção do percentual e o efetivo pagamento da diferença”, disse Paulo Matileti, Presidente da APCEF/RJ.

Para demonstrar à Caixa que os empregados não abrem mão de receber a diferença que falta da PLR Social e que estão firmes na luta, a CEE/Caixa está definindo um calendário de ações. Também nessa luta a participação dos empregados é de fundamental importância. Assim, é bom anotar e participar.

- Dia 31 de março (quarta-feira), às 14h: Tuitaço em defesa da PLR Social e contra o desmando da Caixa.

- Dia 1º de abril (quinta-feira), às 19h: Live sobre a PLR Social e o julgamento pelo TCU no próximo dia 7 de março da Ação Civil Pública do concurso 2014 da Caixa.

- Dia 6 de abril, próxima terça-feira, às 14 horas: Tuitaço em defesa das contratações.

- Dia 7 de abril, próxima quarta-feira: Atos e manifestações nas unidades.

 

 

Compartilhe