17/09/20 10:50

Saúde Caixa: Conselho de Usuários cobra pela aplicação das medidas do ACT 2020-2022

2020-09-17.jpg

Foi com muita luta e insistência das entidades representativas dos trabalhadores, que o ACT firmado na Campanha Nacional dos Bancários garantiu direitos históricos em relação ao Saúde Caixa. Sendo assim, na última quarta-feira (16), o Conselho de Usuários do plano se reuniu virtualmente para debater diversos assuntos de interesse dos beneficiários, como a aplicação das alterações presentes no Acordo Coletivo de Trabalho 2020-2022. 

A necessidade do fortalecimento do GT Caixa, a manutenção da proporção 70/30 no custeio, o respeito ao pacto intergeracional, a solidariedade e o mutualismo também foram citados na reunião. Além disso, foi falado sobre a permanência do projeto “Casal Caixa” - quando ambos os cônjuges são empregados -, e também foi informado que o benefício, na modalidade de reembolso, será encerrado no momento que o plano for reaberto para a inclusão dos empregados admitidos a partir de 1º de setembro de 2018. 

Além da urgência do fortalecimento e transparência do plano para com os participantes, também foi destacada a necessidade do aperfeiçoamento dos relatórios de administração e atuarial do Saúde Caixa. A Gerência Nacional de Assistência à Saúde (Gesap) mostrou uma análise e alguns esclarecimentos dos pontos levantados pelos conselheiros eleitos em um encontro anterior. 

Já sobre a mensalidades dos aposentados, os representantes do banco esclareceram: se o aposentado já se desligou da Caixa e ainda não apresentou o contracheque do INSS e da Funcef, o bancário terá o valor das mensalidades e participações calculado com base na última Remuneração-Base (RB) percebida quando ainda estava em atividade. Os gestores comunicaram que estão respaldados pelo que estava previsto desde o RH 043, revogado e ratificado no RH 221.

Por fim, em relação a inclusão da vacina contra a herpes-zóster (vírus que causa a catapora) no programa de vacinas do Saúde Caixa, o banco ficou de avaliar a reivindicação dos representantes dos trabalhadores, que busca beneficiar os usuários acima de 50 anos.

Vale ressaltar que o custeio do Saúde Caixa fica da seguinte forma: a contribuição do titular será de 3,5% do salário e 0,4% por dependente, com teto de 4,3%. A coparticipação, que passa a ser de 30% por cada procedimento, não será cobrada para internação ou tratamento oncológico (câncer). No atendimento ao pronto socorro, a coparticipação será fixa de R$ 75, para cada consulta. O teto por grupo familiar foi estabelecido em R$ 3.600. Obs: o modelo será implementado em janeiro de 2021.

Compartilhe